sábado, 17 de agosto de 2013

Pôr do sol - parte I


Creio que quase sempre é preciso um golpe de loucura
para se construir um destino.
Marguerite Yourcenar


Você sabe que sua mente está bem fodida quando atravessa um espelho e não aparece ninguém para colocá-la em uma camisa de força. Porque – vamos combinar – isso está além do anormal. Não que “normal” algum dia pudesse ser aplicado a ela.

Alice virou esperando ver seu quarto novamente, uma chance de voltar, mas seu olhar encontrou apenas sangue e morte. Escombros manchados onde antes havia uma pacífica vila. A visão dessa destruição deveria ter embrulhado seu estômago. Não aconteceu; ela vira cenas como essa – piores que essa - centenas de vezes em seus pesadelos. Sua mente estava anestesiada para tal violência; para o horror daquilo.

Um gemido baixo e seu olhar foi puxado de volta para a criança, a razão pela qual transformara seus pesadelos em realidade. Ela se aproximou evitando cuidadosamente olhar para o corpo quebrado da velha e agachou-se ao lado da menina.

Um pequeno tremular de cílios e olhos surpreendentemente iguais aos seus a encontraram por um segundo. A menina piscou tentando acordar.

Péssima idéia.

- Durma anjo – murmurou induzindo a criança a inconsciência.

Agora uma onda de enjôo embrulhou seu estômago. Um reflexo condicionado de suas tentativas em esconder suas habilidades. Monstro, bruxa, demônio! Tantas vezes fora chamada por essas palavras que aparentar ser normal tornou-se imperativo. Mesmo aqui, neste mundo de loucura e pesadelo, ela não pode evitar olhar em volta, com medo de ser surpreendida fazendo algo anormal.

No horizonte o céu começava a se manchar de matizes avermelhados. Algo profundamente enterrado em sua mente clicou em revelação: menos de duas horas para o por do sol.
Seu olhar voltou a pousar sobre o sangue derramado, os corpos quebrados, atrativo absoluto para predadores. Aqui, em seu mundo de pesadelo, coisas se arrastavam atraídas pela morte ao cair da noite. Devoradores de Cadáveres.

Hora de correr Alice.

Nenhum comentário:

Postar um comentário